CBN - A rádio que toca notícia

INTERNACIONAL

Julgamento do impeachment de Trump começa dia 21 no Senado dos EUA

O governo Trump e os senadores republicanos ainda vão nomear seu grupo de defensores

16/01/20, 15:24
N
esta quinta-feira (16/1), às 12h, um grupo de sete deputados federais, nomeados promotores do processo de impeachment do presidente Donald Trump, vai entregar oficialmente ao Senado, para julgamento, os artigos de impeachment (ou denúncias formais) contra Trump, que foram aprovados pela Câmara do Deputados em 18 de dezembro.

Isso vai dar partida, formalmente, ao processo de julgamento do impeachment de Trump. O grupo de deputados-promotores, chamados nos EUA de “administradores do impeachment”, vão ler as denúncias formais contra Trump no plenário do Senado. Dos sete deputados, seis são advogados e promotores. Uma deputada foi chefe de polícia em Orlando, Flórida, e, portanto, teve contato com a lei.

O governo Trump e os senadores republicanos ainda vão nomear seu grupo de defensores.

Mais tarde, o presidente da Suprema Corte dos EUA, ministro John Roberts, vai prestar juramento, para assumir oficialmente a função de presidir o julgamento do impeachment. Em seguida, todos os 100 senadores também vão prestar juramento, para cumprir suas múltiplas funções no julgamento – as de jurados e julgadores – e, possivelmente, de interrogadores, se houver testemunhas.

Na terça-feira (21/1), começa o julgamento do impeachment de Trump, com opções de absolver o presidente (o previsto), de condená-lo e removê-lo do cargo; e, se esse for o caso, os senadores também devem decidir se Trump ficará ou não inelegível para cargo público.

Nos primeiros momentos do julgamento, os senadores irão discutir e votar algumas moções. A primeira delas, um tanto desacreditada, prevê um pedido de trancamento do processo pelos senadores republicanos. Essa proposta pode ser abandonada se os republicanos acreditarem que não terão votos suficientes para aprová-la – o que é mais provável.

A moção seguinte é altamente controversa – e é a razão por que os deputados aprovaram os artigos de impeachment em 18 de dezembro, mas só os encaminham agora ao Senado. Os republicanos querem um julgamento acelerado, sem testemunhas. Os democratas querem um julgamento normal, com testemunhas. Sustentam que julgamento sem testemunha é enganação.

Essa disputa irá provavelmente à votação no Senado, para ser decidida por maioria simples (51 votos). E não se sabe bem o que esperar. O Senado tem 53 senadores republicanos contra 45 democratas e dois independentes (que votam com os democratas). Porém, três senadores republicanos – talvez quatro – podem votar com os democratas – isto é, a favor de ter testemunhas no julgamento.

Se forem quatro senadores, a questão será resolvida a favor dos democratas e o julgamento terá testemunhas. Mas, o mais provável é que apenas três senadores republicanos votem com os democratas (embora isso não seja 100% certo). Se isso acontecer, a votação vai terminar empatada (50 a 50).

Nesse caso, caberá ao ministro John Roberts, que preside o julgamento, decidir. E, não importa o que ele decida, será crucificado. Se decidir a favor dos republicanos (contra testemunhas), irá ouvir que isso era esperado, porque a Suprema Corte é uma instituição político-partidária e ele é um ministro republicano – uma acusação que ele vem tentando refutar há tempos. Se votar a favor dos democratas (a favor de ter testemunhas no julgamento), será acusado de traidor pelos republicanos – afinal, ele foi nomeado por um presidente republicano.

Depois disso, a acusação e a defesa irão apresentar seus casos a favor e contra a condenação e remoção do presidente Trump do cargo. Se houver testemunhas, elas serão ouvidas em audiências fechadas e públicas, o que poderá estender o julgamento por muitas semanas. Se não houver testemunhas, depois que cada lado apresentar seu caso, os senadores vão votar contra ou a favor do impeachment.

Com testemunhas ou não, o Senado deverá absolver o presidente Trump, porque seriam necessários dois terços dos votos (ou 67 votos) para condená-lo. Com 47 votos, os democratas precisariam que 20 senadores republicanos votassem com eles – e isso não vai acontecer.

Então, por que os democratas fazem questão de ouvir testemunhas? Porque este é um ano eleitoral e o depoimento das testemunhas pode causar um grande dano às campanhas de Trump e dos próprios senadores republicanos. Ficará mais evidente para os eleitores (principalmente para os independentes que, no final das contas, decidem as eleições), que o julgamento no Senado foi uma enganação.

Aconteça o que acontecer, esse será um julgamento puramente político-partidário, de cartas marcadas – a não ser pelo fato de que é um procedimento previsto na Constituição do país. Mas sequer existem normas legislativas para a condução do julgamento no Senado. Tudo vai ser resolvido na batalha entre republicanos (com possíveis defecções) e democratas.
Fonte: JL/João Ozorio de Melo/Conjur
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
29/09/20, 17:51 | REFORMA - Governo mantém arrocho a Educação e aposentados por novo “bolsa família”
29/09/20, 17:49 | ECONOMIA - Renda Cidadã do Govern Federal poderá chegar a R$ 500,00
29/09/20, 17:05 | POLÍTICA - Eleições 2020: saiba como pesquisar candidatos a prefeito e vereador de sua cidade; assista
29/09/20, 17:01 | ECONOMIA - Entidades do ensino básico criticam uso do Fundeb para financiar Renda Brasil
29/09/20, 16:44 | POLÍTICA - Eleições 2020 terão menor número de candidatos vindos do congresso
29/09/20, 16:11 | POLÍTICA - Conheça os nomes cotados para ocupar a vaga de Celso de Mello no STF
29/09/20, 07:37 | INSTITUCIONAL - OAB diz que tirar dinheiro do Fundeb para financiar Renda Cidadã é “inconstitucional” e “calote da dívida pública”
28/09/20, 21:11 | ECONOMIA - União libera R$ 5 bi para financiar MEI, micro e pequena empresa
28/09/20, 21:05 | CRIME - MP conclui investigação e denunciará Flávio Bolsonaro no esquema da rachadinha
28/09/20, 19:33 | POLÍTICA - Em novo recorde, eleições municipais têm mais de 545 mil candidatos
28/09/20, 19:30 | POLÍTICA - Eleições 2020: MP lança novas proibições para candidatos e eleitores por causa da pandemia; confira
28/09/20, 19:07 | POLÍTICA - ECONOMIA: Bolsonaro e Paulo Guedes criam nova CPMF
28/09/20, 15:27 | POLÍTICA - Governador do Piauí assume a presidência do Consórcio Nordeste
28/09/20, 15:16 | OPINIÃO - “País renunciou à sua dignidade”, diz Roberto Amaral sobre desmonte da ciência
28/09/20, 15:11 | ECONOMIA - Governo anuncia Renda Cidadã, com recursos de precatórios e do Fundeb
28/09/20, 14:54 | POLÍTICA - Saúde e emprego são as principais preocupações dos eleitores, diz Paraná Pesquisas
28/09/20, 14:38 | POLÍTICA - Após derrota para os Bolsonaro, Globo leva briga ao Supremo Tribunal Federal
27/09/20, 14:36 | POLÍTICA - Eleições municipais de novembro tendem a reeditar pleito de 2018
27/09/20, 11:38 | POLÍTICA - Da toga ao cadafalso: o duro caminho de quem troca a Justiça pela política
27/09/20, 11:30 | POLÍTICA - Nas Eleições 2020, 67 congressistas estão na disputa por vaga
27/09/20, 11:22 | POLÍTICA - Campanha das eleições municipais começaram neste domingo
27/09/20, 10:09 | POLÍTICA - Barroso diz que fake news estão corroendo a democracia
26/09/20, 08:34 | POLÍTICA - Indicado por Bolsonaro ao STF pode herdar inquérito sobre interferência na PF
26/09/20, 08:29 | POLÍTICA - Em 2010, Flávio Bolsonaro doou R$ 733 mil em dinheiro vivo para a mãe
26/09/20, 08:24 | ESPORTE - STJD confirma Palmeiras x Flamengo; jogo vai acontecer neste domingo (27)
23/09/20, 16:10 | CORONAVAC - Dados mostram segurança da vacina contra Covid-19 testada no DF
23/09/20, 16:06 | POLÍTICA - Família Bolsonaro doou dinheiro vivo entre si para campanhas eleitorais
23/09/20, 15:53 | INVESTIGAÇÃO - Carlos Bolsonaro adquiriu imóvel por R$ 150 mil em dinheiro vivo aos 20 anos
23/09/20, 14:58 | TRAGÉDIA - Mortes por síndrome respiratória cresceram 3.644% com a pandemia de covid-19
23/09/20, 14:53 | PANDEMIA - Covid-19: Ministério da Saúde endossa retorno de torcidas aos estádios
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site