CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

Bolsonaro volta a ameaçar o Brasil e segue na sua trajetória de traidor em momento de guerra

Bolsonaro está ameaçando os brasileiros, em vez de trabalhar para minimizar os impactos da pandemia, como faz o conservador Boris Johnson na Inglaterra ou o progressista Alberto Fernández, na Argentina, que tomam medidas para socorrer aqueles que não estão inseridos no sistema de proteção social

25/03/20, 09:27

M
enos de doze horas depois do pronunciamento irresponsável na TV, Jair Bolsonaro voltou ao ataque nesta manhã e compartilhou áudio sem credibilidade de um brasileiro que supostamente está nos Estados Unidos. Pior: depois de defender a reabertura das escolas, Bolsonaro diz que o comércio deve voltar a funcionar.

“38 milhões de autônomos já foram atingidos. Se as empresas não produzirem não pagarão salários. Se a economia colapsar os servidores também não receberão. Devemos abrir o comércio e tudo fazer para preservar a saúde dos idosos e portadores de comorbidades”, escreveu.

Bolsonaro está ameaçando os brasileiros, em vez de trabalhar para minimizar os impactos da pandemia, como faz o conservador Boris Johnson na Inglaterra ou o progressista Alberto Fernández, na Argentina, que tomam medidas para socorrer aqueles que não estão inseridos no sistema de proteção social.

Na Argentina, os informais receberão um salário equivalente a 800 reais enquanto durar a crise, Boris Johnson nacionalizou os hospitais privados, a Índia mandou toda a sua população — de mais de 1 bilhão de habitantes — ficar em casa, os Estados Unidos estão imprimindo mais dólares.

São decisões tomadas como estivéssemos em guerra. E, na verdade, estamos, contra um inimigo mortal e invisível. E Bolsonaro, nesta guerra, se comporta como um traidor.

Imagine-se a Segunda Guerra Mundial e Winston Churchill, ao assumir o governo britanico em 1940, indo à TV para dizer que Adolph Hitler não era assim uma ameaça tão séria à humanidade, e que, em defesa da economia, se deveria tolerar a invasão da Holanda, Bélgica, Luxemburgo e França.

Em vez disso, Churchill fez um discurso em que a única promessa foi oferecer o próprio “sangue, sofrimento, lágrimas e suor”. Vale reproduzir um trecho daquele discurso:

Temos perante nós uma dura provação. Temos perante nós muitos e longos meses de luta e sofrimento. 

Perguntam-me qual é a nossa política? Dir-lhes-ei; fazer a guerra no mar, na terra e no ar, com todo o nosso poder e com todas as forças que Deus possa dar-nos; fazer guerra a uma monstruosa tirania, que não tem precedente no sombrio e lamentável catálogo dos crimes humanos. -; essa a nossa política. 

Perguntam-me qual é o nosso objectivo? Posso responder com uma só palavra: Vitória – vitória a todo o custo, vitória a despeito de todo o terror, vitória por mais longo e difícil que possa ser o caminho que a ela nos conduz; porque sem a vitória não sobreviveremos. 

O antecessor de Churchill, Neville Chamberlain, se comportava como Bolsonaro, um pusilânime incapaz de compreender a gravidade do momento. Fez acordo com Hitler, e assim facilitou a ofensiva militar do inimigo. Caiu quando a sociedade britânica percebeu que, se Chamberlain não caísse, cairiam todos os britânicos.

Um sentimento expresso nas palavras do primeiro discurso de Churchill:

Compreendam bem: não sobreviverá o Império Britânico, não sobreviverá tudo o que o Império Britânico representa, não sobreviverá esse impulso que através  dos tempos tem conduzido o homem para mais altos destinos. 

Mas assumo a minha tarefa com entusiasmo e fé. Tenho a certeza de que a nossa causa não pode perecer entre os homens. Neste momento, sinto-me com direito a reclamar o auxílio de todos, e digo “Unamos as nossas forças e caminhemos juntos”.

No Brasil, setores importantes da sociedade já perceberam que a pandemia é séria. Até o comandante do Exército, Édson Leal Pujol, uma hora antes do discurso de Bolsonaro, se expressou em termos apropriados para quem compreende que se trata de uma guerra:

“Julgamos que é o momento oportuno para lhes dirigir esta mensagem de estímulo e de confiança. Uma de nossas responsabilidades para com a Nação, particularmente neste momento de crise, é de que nossa tropa deve manter a capacidade operacional para enfrentar esse desafio e poder fazer a diferença. Talvez seja a missão mais importante da nossa geração. (…) Contamos com a ajuda de todos porque o momento exige união, organização e especial cuidado com a própria saúde e a dos que nos cercam para que possamos superar mais este desafio que a história do nosso País nos apresenta. O Braço Forte atuará se for necessário, e a mão amiga estará mais estendida do que nunca aos nossos irmãos brasileiros. A todos a certeza de que, parafraseando a nossa canção, se a nossa Pátria amada está sendo ameaçada, lutaremos sem temor”.

Em nenhum momento, o comandante do Exército cita o nome de Jair Bolsonaro ou a Presidência da República. Fala em atender aos órgãos governamentais.

O assunto é sério, e Bolsonaro não reúne condições mínimas de liderar o Brasil neste momento difícil.

Bolsonaro segue a sua vocação, expressa desde que traiu o seu compromisso de se submeter à hierarquia do Exército — em 1986, conseguiu uma página da revista Veja para desafiar o seu comandante na época, general Leônidas Pires Gonçalves, ministro do Exército, e pregar a insubordinação no seio da instituição a que servia.

Bolsonaro é um traidor que nos coloca a todos em risco.

.x.x.x.x.

Abaixo o tuíte de Bolsonaro nesta manhã:

38 milhões de autônomos já foram atingidos. Se as empresas não produzirem não pagarão salários. Se a economia colapsar os servidores também não receberão. Devemos abrir o comércio e tudo fazer para preservar a saúde dos idosos e portadores de comorbidades. http://youtu.be/GZ6kVuyEdaM

Por Joaquim de Carvalho

Fonte: JL/DCM
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
04/04/20, 11:25 | INTERNACIONAL - Ataque com faca deixa dois mortos e seis feridos na França
04/04/20, 10:10 | ARTIGO - Coronavírus e Relações Jurídicas
04/04/20, 10:02 | POLÍTICA - Senadores pedem adiamento das eleições municipais de 2020
04/04/20, 09:27 | PANDEMIA - Governo do Piauí distribui testes rápidos de coronavírus para capital e interior
04/04/20, 09:20 | POLÍTICA - Bolsonaro é um chefe de bando, que deve ser ignorado pelos brasileiros, diz editorial do Estadão
04/04/20, 09:15 | ECONOMIA - Brasil pode ter a pior década econômica da história por causa do coronavírus (e de Bolsonaro)
04/04/20, 07:17 | POLÍTICA - Pesquisas apontam que Bolsonaro é o único líder mundial que perde popularidade por crise do coronavírus
04/04/20, 05:53 | DATAFOLHA - Pesquisa humilha o presidente: Mandetta 76% x 33% Bolsonaro
04/04/20, 05:49 | INTERNACIONAL - Trump: “Fiquem em casa”, reforça presidente dos Estados Unidos
04/04/20, 05:45 | POLÍTICA - Carlos Bolsonaro critica general Mourão por conversa com Flávio Dino
03/04/20, 19:05 | PANDEMIA - Coronavírus: Brasil tem 60 mortos em 24 horas
03/04/20, 18:49 | PANDEMIA - OMS alerta para aumento de casos graves e mortes entre doentes mais jovens
03/04/20, 17:55 | PANDEMIA - Fiscalização em Teresina fecha mais de 40 estabelecimentos na zona Sul
03/04/20, 17:49 | 800 ÍTENS - Teresina Solidária já arrecadou cestas básicas, alimentos e material de limpeza
03/04/20, 17:00 | PANDEMIA - Bolsonaro usa dados errados de hospital para se opor ao isolamento
03/04/20, 16:55 | PANDEMIA - Maia: Mandetta ‘mostra qualidades como gestor público em momento difícil’
03/04/20, 16:52 | CORONAVÍRUS - Alemanha ultrapassa mil mortos e soma quase 80 mil infecções
03/04/20, 15:12 | POLÍTICA - 55% dos tuítes pró-Bolsonaro são feitos por robôs, aponta estudo
03/04/20, 15:10 | PESQUISA - Datafolha: Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda no combate ao coronavírus
03/04/20, 14:47 | PESQUISA - Mandetta já é mais popular que Moro no governo de Bolsonaro
03/04/20, 14:43 | POLÍTICA - Maioria no Brasil é contra a política econômica de Bolsonaro e Guedes, diz pesquisa XP Ipespe
03/04/20, 14:18 | POLÍTICA - Datafolha confirma que popularidade de Bolsonaro derrete em meio à pandemia do coronavírus
03/04/20, 13:55 | PESQUISA - Datafolha: aprovação de Bolsonaro é menos da metade de Mandetta
03/04/20, 13:34 | PANDEMIA - 24% dos pacientes com síndrome respiratória grave têm entre 30 e 59 anos
03/04/20, 12:58 | PESQUISA - Avaliação positivo de governadores do Sudeste salta de 22% para 37%
03/04/20, 12:54 | POLÍTICA - Ordem no Ministério da Saúde é ignorar ataques de Bolsonaro
03/04/20, 12:36 | PANDEMIA - Mandetta sobre assédio de Bolsonaro: 'Médico não abandona paciente'
03/04/20, 12:25 | POLÍTICA - PESQUISA: Ministro da Saúde e Governadores superam Bolsonaro que fica com 42% ruim ou péssimo
03/04/20, 12:06 | INTERNACIONAL - Brasileiro é preso ao furar bloqueio da polícia na Itália: “Sou positivo para coronavírus”, dizia
03/04/20, 11:30 | PANDEMIA - Prefeitura de Teresina usa tecnologia para monitorar o isolamento social na capital
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site