CBN - A rádio que toca notícia

ARTIGO

Argentina não tem medo de enquadrar seus generais

"A Constituição autoriza os argentinos a enfrentar os militares, enquanto nós ainda discutimos se um tenente e seus três garotos podem liderar um golpe com o suporte de forças militares e milicianas", escreve o jornalista Moisés Mendes

03/07/20, 15:31

Por Moisés Mendes, jornalista, autor de “Todos querem ser Mujica” (Editora Diadorim). Foi editor especial e colunista de Zero hora, de Porto Alegre (foto)

A
democracia brasileira aprenderia muito com os argentinos, se prestasse atenção no que eles continuam fazendo para manter golpistas civis e militares sob controle.

Eles não têm na Constituição nenhum artigo 142 que permita leituras enviesadas sobre golpismo. Não existe nada parecido com esse debate fajuto que consome os brasileiros sobre o presumido poder moderador das Forças Armadas.

Os argentinos criaram trancas que o Brasil achou que não iria precisar. E continuam criando. Esta semana, um decreto do governo antecipou o que se anuncia como uma reforma profunda nas Forças Armadas.

A decisão de Alberto Fernández tirou dos militares a atribuição de cuidar de questões internas de segurança. Exército, Marinha e Aeronáutica não se metem em conflitos de fronteira, no combate ao narcotráfico e no que possa se configurar como terrorismo.

Essas atribuições haviam sido asseguradas em 2018 por Mauricio Macri, numa tentativa de empoderar os militares e causar confusão sobre suas atribuições.

Retorna agora o que valia a partir de 2006, quando Nestor Kirchner deixou claro, também em decreto, que as Formas Armadas devem intervir apenas em casos de ameaça externa contra a soberania nacional.

Segurança nacional e segurança interna são tratadas de formas distintas. Questões internas ficam a cargo da Gendarmeria Nacional (que é bem mais do que uma espécie de polícia militar deles) e das polícias das províncias.

Seria improvável na Argentina que o equivalente à Força Nacional de Segurança se envolvesse numa intervenção como a que aconteceu no Rio em 2018, em nome das Forças Armadas. Essa poderia ser uma tarefa da Gendarmeria, não do Exército.

Não há hoje chance alguma de a Argentina ter uma figura poderosa como Walter Braga Netto, o general que depois se transformou em chefe da Casa Civil de Bolsonaro por suas virtudes como gestor da intervenção no Rio.

O decreto de Fernández é só um começo. Vem mais, num prazo de seis meses, para que os fardados fiquem apenas onde devem estar. O ministro de Defesa, Agustín Rossi, está encarregado de formular uma proposta de reforma de leis, normas e regulamentos que enquadre os militares.

A chance de golpe na Argentina não existe desde o trauma com o fiasco militar e a tragédia da Guerra das Malvinas, em 1982. Mas é preciso que isso fique ainda mais explicitado.

Também lá, como aqui, o presidente é o chefe Supremo das Forças Armadas. Mas não há na Constituição argentina, reformada em 1994, não há uma linha sequer que insinue algum poder excepcional aos militares.

Na verdade, a Constituição trata até da circulação de navios, mas não há nada, absolutamente nada sobre atribuições das Forças Armadas. É como se os argentinos, depois de tantos horrores, decidissem ignorá-las, por serem agora subalternas e desimportantes.

Mas há várias linhas sobre as garantias contra um golpe. A Constituição diz que “toda força armada” que pretenda expressar-se em nome dos direitos do povo será considerada em sedição. Qualquer atentado à democracia será enquadrado como golpista e julgado.

É a tranca contra o que aqui ainda chamam de poder moderador das Forças Armadas. A Constituição afirma que continuará em vigor, mesmo que atentem “por atos de força contra a ordem institucional e o sistema democrático”.

E aqui está o trecho decisivo, no artigo 36 do capítulo segundo dos Novos Direitos e Garantias:

“Todos os cidadãos têm o direito de resistência contra aqueles que praticam os atos de força declarados nesse artigo”.

Ao povo é assegurado o direito de resistir e desobedecer ordens diante da força de um golpe. E se sabe que só os generais têm jipes, soldados, cabos e armas para agir à força.

A Constituição autoriza os argentinos a enfrentá-los, enquanto nós ainda discutimos se um tenente e seus três garotos podem liderar um golpe com o suporte de forças militares e milicianas.

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
15/08/20, 01:07 | POLÍTICA - Oposição aciona STF contra MP de Bolsonaro que permite a privatização da Caixa
15/08/20, 00:29 | POLÍTICA - Bolsonaro diz estar ‘profundamente irritado’ com Paulo Guedes
15/08/20, 00:25 | DECISÃO - Gilmar Mendes mantém Queiroz e a esposa em prisão domiciliar
15/08/20, 00:22 | POLÍTICA - Líder do centrão começa a fritar Guedes: ‘ninguém é insubstituível’
14/08/20, 08:19 | INVESTIGAÇÃO - Deprimida, mulher de Queiroz diz que foi vítima de ‘armação’
14/08/20, 08:12 | POLÊMICA - Juíza que citou raça de réu negro em sentença pode perder cargo
14/08/20, 07:29 | INVESTIGAÇÃO - Ex-assessores de Flávio sacaram pelo menos R$ 7,2 milhões
13/08/20, 22:01 | POLÍTICA - Jornal Nacional sobe o tom e expõe possível fraude de Flávio Bolsonaro em notas fiscais
13/08/20, 21:21 | POLÍTICA - PSDB lança pré-candidato com qualificação para concorrer a prefeito de Luzilândia
13/08/20, 20:26 | INVESTIGAÇÃO - Ministro do STJ revoga domiciliar e determina que Queiroz volte para prisão
13/08/20, 18:03 | ESPORTE - Conmebol divulga jogos da Copa América e libera trocas para mata-mata
13/08/20, 17:49 | PANDEMIA - Restaurantes reabrem na segunda (17) e são orientados sobre cuidados contra a Covid-19
13/08/20, 17:35 | BENEFÍCIO - Governo do Piauí antecipa pagamento do 13º para esta sexta-feira (14)
13/08/20, 17:33 | PANDEMIA - 34% dos ministros e 40% dos governadores tiveram covid19
13/08/20, 12:32 | POLÍTICA - "Bolsonaro não acredita na agenda de Paulo Guedes", diz Miriam Leitão
13/08/20, 12:24 | PANDEMIA - Caixão com corpo de vítima da covid-19 é abandonado em cemitério no Piauí
13/08/20, 12:11 | PANDEMIA - Cristo Redentor passa por desinfecção antes da reabertura no sábado
13/08/20, 12:02 | GERAL - Aniversário de Teresina será celebrado de forma especial e mantendo protocolos de segurança
13/08/20, 11:55 | INVESTIGAÇÃO - Flávio Bolsonaro diz não lembrar de pagamento em espécie em compra de apartamento
13/08/20, 11:47 | INVESTIGAÇÃO - Dallagnol admite “eventuais equívocos” e diz que afastamento da Lava Jato é “punição”
13/08/20, 11:42 | POLÍTICA - Primo de Michelle Bolsonaro diz que vai revelar segredos da primeira-dama
12/08/20, 15:20 | EDUCAÇÃO - Pais acreditam que qualidade do ensino caiu na pandemia, diz pesquisa
12/08/20, 14:46 | JUDICIÁRIO - Corregedoria do Tribunal de Justiça do Paraná vai investigar juíza acusada de sentença racista
12/08/20, 14:41 | POLÍTICA - Governador do Piauí e representantes do Consórcio Nordeste debatem sobre saúde e economia
12/08/20, 14:38 | PANDEMIA - Número de pessoas com potencial de transmitir a Covid-10 volta a crescer em Teresina
12/08/20, 14:35 | INVESTIGAÇÃO - Gabinete de Bolsonaro também serviu para esquema de ‘rachadinha’ entre Queiroz e a filha
12/08/20, 06:13 | ECONOMIA - Empresário bolsonarista diz que Brasil está de volta ao abismo
12/08/20, 06:11 | ECONOMIA - Guedes: Bolsonaro corre risco de sofrer impeachment se furar teto de gastos
11/08/20, 22:17 | POLÍTICA - Ministra do Supremo detona Bolsonaro: “Irresponsabilidade política causou tragédia de 100 mil mortos”
11/08/20, 21:49 | POLÍTICA - Mendonça entrega dossiê sobre antifascistas ao Congresso
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site